Sindicato das Seguradoras
31 3271.0770

A Caixa Econômica Federal começa a operar o DPVAT, seguro que indeniza vítimas de acidentes de trânsito, nesta segunda-feira. O banco assume a função depois que o consórcio de seguradoras que costumava operar o seguro foi extinto.

A partir desta semana, o atendimento será feito pelas agências da Caixa e os pagamentos serão realizados no aplicativo Caixa Tem, o mesmo utilizado para o auxílio emergencial. Daqui duas semanas, segundo o presidente do banco, Pedro Guimarães, o atendimento também poderá ser feito por um aplicativo específico do seguro.

A grande mudança é que esse serviço será prestado pela Caixa Econômica Federal a partir de hoje para sinistros ocorridos a partir do dia 1º janeiro de 2021. Tanto o atendimento quanto o pagamento das indenizações serão feitos pela Caixa e não há nenhuma mudança nas regras de indenização disse o presidente.

Guimarães explicou que quem tiver direito a uma indenização e não tiver conta na Caixa, receberá uma conta digital de graça e poderá movimentar os recursos por meio do Caixa Tem. Ele ressalta que a mudança tem como um dos objetivos reduzir fraudes.

Por que nós estamos realizando isso? Uma série de motivos. Redução de fraudes, melhora para os beneficiários eliminando intermediários, redução de custo. É muito importante. Muitas dessas pessoas, desses brasileiros moram em áreas distantes onde não tem necessariamente uma agência de banco, quando essas pessoas podem receber de maneira digital elas aceleram o recebimento.

Mudança

A mudança na operação do DPVAT aconteceu após a extinção do consórcio de empresas que administrava o seguro no fim de 2020. A Superintendência de Seguros Privados (Susep) então precisou buscar um novo operador e escolheu a Caixa.

O objetivo do aplicativo e do processo é funcionar eletronicamente via conta digital, mas uma das exigências feitas para contratação foi que, em caso de algum problema, tivesse o atendimento presencial e a Caixa já começa operando a partir de hoje no atendimento presencial disse a superintendente da Susep, Solange Vieira.

A superintendente ressaltou que não haverá cobrança de DPVAT em 2021 e que os recursos que já estão em caixa são suficientes para cobrir os pagamentos. Para 2022, Vieira defendeu alterações no seguro, sem dar detalhes.

Ano que vem a gente pretende discutir com o Congresso uma nova política de DPVAT, um novo seguro, o governo deve estar encaminhando no primeiro semestre deste ano novo um projeto de lei para discussão.

A extinção do consórcio aconteceu depois que a Líder uma das seguradoras que integravam o grupo foi notificada pela Susep a devolver R$ 2,2 bilhões referentes a despesas irregulares pagas com recursos públicos do seguro, no período de 2008 a 2020.

Fonte: CNSeg

Ano

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER E OUTRAS NOVIDADES