Sindicato das Seguradoras
31 3271.0770

Denise Bueno, jornalista especializada em seguros, fala sobre o crescimento do setor de seguros no Brasil. Confira o texto completo e saiba as expectativas do mercado para 2015.
Crise passa longe do setor
Crise? Pelos balanços publicados no início de 2015, a indústria de seguros passa longe do caos que vive a economia brasileira. A Bradesco Seguros apresentou lucro de R$ 4,4 bilhões, alta de 17,8%, e faturamento 12,9% maior, de R$ 56,1 bilhões. A BB Seguridade anunciou um retorno sobre o patrimônio de 49%, com lucro líquido de R$ 3,5 bilhões e vendas de R$ 54 bilhões, alta de 24,5%. A espanhola Mapfre destacou, novamente, o Brasil em seu balanço mundial. O país colaborou com cerca de 25% dos ganhos do grupo. A Liberty registrou R$ 83 milhões em lucro, o maior da história desde que a companhia entrou no Brasil, em 1996.
Parte do bom desempenho do setor se explica pelo ganho financeiro, beneficiado pela política de alta da taxa de juros, que remunera as reservas técnicas das companhias. Outra parte vem do investimento em TI, que possibilita produtos simples, preços acessíveis e ampliação da oferta em diversos canais.
As estimativas dos economistas para 2015 são preocupantes, com um cenário que se agrava com as investigações de corrupção na Petrobras. Mas os porta-vozes das seguradoras afirmam que o setor seguirá o ritmo de crescer dois dígitos, em razão do imenso potencial de vendas de seguros que ainda há no Brasil em diversos nichos, principalmente em vida, residência, pequenas empresas e dental. Ou seja, para o setor, o céu continua de brigadeiro.

Ano

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER E OUTRAS NOVIDADES