Sindicato das Seguradoras
31 3271.0770

Denise Bueno, jornalista especializada em seguros, fala sobre o potencial de crescimento do setor de seguros no Brasil. Confira o texto completo e saiba as expectativas do mercado para 2015.

Venha o que vier, a indústria de seguros do Brasil seguirá em alta em 2015
Além de todo o discurso do potencial de crescimento do setor, visível no gap de sermos o 13ª maior mercado de seguros do mundo e a sétima economia, temos um ministro da Fazenda a favor. Joaquim Levy deixou o Bradesco, banco que tem 30% do lucro proveniente de seguros, para comandar a economia. E ele só foi para o cargo porque Luiz Carlos Trabuco, executivo que atuou por décadas em seguros e previdência e hoje comanda o banco, negou o convite sugerido pelo ex-presidente Luiz Inácio da Silva (Lula) a presidente Dilma Rousseff. Levy também é responsável por indicar um nome à presidente para o comando da Superintendência de Seguros Privado (Susep). Ou seja, politicamente está tudo a favor.
Em termos de macroeconomia, ainda é cedo para saber como o governo conseguirá conciliar a combinação de juros altos com déficit fiscal, que geram o descontrole inflacionário, queda do valor de mercado dos títulos públicos e desvalorização cambial.
No tocante ao mercado de seguros, consumidores, investidores e analistas já se dão conta da importância do setor. Isso valoriza as ações de instituições financeiras com atuação em seguros, que se mantém em alta nas recomendações dos analistas A consciência sobre a rentabilidade que a venda de seguros gera se alastrou. Principalmente entre os bancos públicos e privados, bem como entre as redes varejistas. Todos já contabilizam os benefícios de ofertar seguro, o que ajuda a ampliar os investimentos em educação financeira e, consequentemente, a difundir a cultura do seguro e de previdência.
Mas é certo que venha o que vier, o mercado de seguros será beneficiado. Se não pelo crescimento da economia, pleno emprego e inflação sob controle, pelos juros elevados e apoio político para aprovação de normas, como o VGBL Saúde, por exemplo.

Ano

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER E OUTRAS NOVIDADES